Autorização

Norton Jochims Fernandes, Leiloeiro Oficial, devidamente autorizado pelo Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal Altair Antônio Gregorio da 6ª Vara Federal de Porto Alegre, Seção Judiciária do Rio Grande do Sul, situada na Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 600, 6º andar, Ala Leste, Bairro Praia de Belas, Porto Alegre/RS, venderá em público leilão em dia, hora e local mencionados, o bem abaixo descrito:

Processo nº 5005481-17.2018.4.04.7100

Exequente: Caixa Econômica Federal – CEF

Executado: Raymundo Moraes Wotter Filho e outros

Um terreno constituído dos lotes 4, 5, 43 e 44, da quadra G-3, do loteamento denominado Vila Intersul, medindo 24m de frente, por 60m da frente aos fundos (1.440m2), com demais medidas e confrontações conforme Matrícula nº 41.792 do Registro de Imóveis de Alvorada. Atual Avenida dezessete de setembro, 540

Sobre tal terreno existe o seguinte imóvel: um prédio industrial de alvenaria, com 400m2 de área construída, com pé direito de 8m de altura. Na parte da frente, internamente, há uma peça fechada para escritório, com cerca de 20m2. Ainda, existe uma guarita de alvenaria na frente do terreno de 8m2. O terreno é murado e na frente tem um portão de ferro.

Avaliação: R$ 575.000,00 (quinhentos e setenta e cinco mil reais)

Conforme despacho judicial, por ocasião da alienação do bem imóvel indivisível penhorado, deverá ser respeitada a quota-parte dos coproprietários, os quais deverão se ressarcir primeiramente com a venda do bem e, ainda, sendo-lhes dada a preferência na aquisição do bem (art. 843, §1º, do CPC)

Caso não vendido, irá novamente a leilão: SEGUNDO LEILÃO dia 20 de AGOSTO de 2019, às 14h, na Rua Dr. Timóteo, 710, Bairro Moinhos de Vento, Porto Alegre/RS, auditório, pela melhor oferta, não vil.

INTIMAÇÃO: Ficam intimadas as partes e seus cônjuges, credores hipotecários e fiduciários, pelo presente edital caso não localizadas pelo Sr. Oficial de Justiça, para cientificação pessoal.  Propostas de pagamento abaixo da avaliação e parcelamento na forma do CPC deverão ser apreciadas pelo juízo.

O arrematante deverá pagar ao leiloeiro a sua comissão, bem como eventuais custas judiciais. Ainda terá o custo de 0,5% sobre o valor da arrematação a titulo de custa judicial (tabela III Lei 9289/96). Havendo invalidação do leilão o leiloeiro restituirá o valor dado em comissão pelo arrematante. Eventuais emolumentos e despesas decorrentes de transferências são de responsabilidade do arrematante.

Quando concluída a arrematação, a aquisição da propriedade será considerada originária, ocorrendo a transferência do bem livre de penhoras, hipotecas, alienações fiduciárias, tributos ou multas até a data do arremate.

A arrematação parcelada ocorrerá conforme o disposto no art. 895 do CPC.

Resultando negativos os leilões, resta autorizada ao leiloeiro a venda direta do bem penhorado, conforme o disposto noa RT. 880 do CPC, a ser realizada em até 90 dias, prorrogável pelo mesmo período, independente de nova intimação.

Login

Cadastre-se
Esqueci minha senha